Câncer de boca: sintomas, tratamento e prevenção da doença que atinge milhares de brasileiros

Câncer de boca: sintomas, tratamento e prevenção da doença que atinge milhares de brasileiros

Novembro 9, 2022 Não Por love amem

O câncer de boca é um tipo de tumor maligno que pode surgir em qualquer estrutura da boca, como lábios, língua, bochechas, palato, gengiva ou orofaringe, levando ao surgimento de sintomas como aparecimento de feridas ou aftas que demoram para cicatrizar, caroços na boca ou ínguas no pescoço que não desaparecem.

O câncer de boca é mais comum após os 50 anos, mas também pode surgir em qualquer idade, sendo mais frequente em fumantes ou pessoas com má higiene bucal.

É importante consultar o clínico geral ou o dentista sempre que surgirem os sintomas do câncer de boca, para que seja diagnosticado e iniciado o tratamento o mais rápido possível, pois as chances de cura deste tipo de câncer são maiores quanto mais cedo for iniciado o tratamento.

Sintomas de câncer de boca

Os primeiros sintomas de câncer de boca são:

  • Feridas ou aftas que não cicatrizam em 15 dias;
  • Caroços na boca que não desaparecem;
  • Manchas vermelhas ou brancas nas gengivas, língua, lábios, garganta ou revestimento da boca;
  • Pequenas feridas superficiais que não doem e que podem ou não sangrar;
  • Irritação, dor na garganta ou sensação que algo está preso na garganta.

Em estágios mais avançados, os sintomas do câncer de boca evoluem para:

  • Dificuldade ou dor ao falar, mastigar e engolir;
  • Ínguas ou caroços no pescoço devido ao aumento dos linfonodos;
  • Dor em torno dos dentes, que podem cair facilmente;
  • Mau hálito persistente;
  • Perda súbita de peso.

Caso os sintomas durem mais de 2 semanas, é recomendado consultar um clínico geral ou um dentista para que seja feita uma avaliação dos sintomas e, assim, sejam indicados exames necessários para fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento mais adequado.

Muitas vezes, os sintomas do câncer de boca surgem de forma silenciosa e, pelo fato de não haver dor, a pessoa pode demorar para buscar tratamento, sendo a doença diagnosticada, na maioria das vezes, em estágios mais avançados.

Como confirmar o diagnóstico

Na maioria dos casos, o médico é capaz de identificar as lesões do câncer apenas observando a boca, no entanto, é comum pedir uma biópsia de um pedacinho da lesão para identificar se existem células cancerígenas.

Caso sejam identificadas células tumorais, o médico pode ainda pedir uma tomografia computadorizada para avaliar o grau de desenvolvimento da doença e identificar se existem outros locais afetados, além da boca.

Possíveis causas

O câncer de boca é causado por mutação nas células de qualquer parte da estrutura da boca que passam a se multiplicar de forma descontrolada.

Alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento do câncer de boca, como:

  • Hábito de fumar;
  • Mastigar regularmente a noz de areca, também chamada de noz de betel;
  • Mascar tabaco;
  • Infecção pelo vírus HPV;
  • Consumo frequente de bebidas alcoólicas;
  • Bochechos frequentes com enxaguantes bucais com alto teor alcoólico;
  • Má higiene bucal;
  • Histórico familiar de câncer de boca;
  • Trauma crônico na boca;

Além disso, alimentação pobre em vitaminas e minerais, assim como a exposição prolongada ao sol também podem favorecer o aparecimento de câncer de boca.

Como é feito o tratamento

O tratamento do câncer de boca deve ser orientado por um oncologista e pode ser feito através de cirurgia, quimioterapia, radioterapia, terapia alvo ou imunoterapia, dependendo da localização do tumor, gravidade da doença e se o câncer já se espalhou para outras partes do corpo.

Como prevenir o câncer de boca

Para prevenir o câncer de boca é recomendado evitar todos os fatores de risco, e ter bons hábitos de higiene oral. Para isso é necessário:

  • Escovar os dentes pelo menos 2 vezes por dia, com escova de dentes e creme dental com flúor;
  • Comer alimentos saudáveis, como frutas, legumes e cereais, evitando comer carnes e alimentos processados diariamente;
  • Usar camisinha em todas as relações sexuais, até mesmo no sexo oral, para evitar a contaminação com o HPV;
  • Não fumar e não ficar muito exposto à fumaça do cigarro;
  • Evitar consumir bebidas alcoólicas de forma excessiva ou constante;
  • Usar batom ou bálsamo labial com fator de proteção solar, principalmente se trabalhar exposto ao sol.

Além disso, é recomendado tratar precocemente qualquer alteração nos dentes, e seguir todas as orientações do dentista, sendo importante ainda não usar prótese dentária ou aparelho ortodôntico móvel de outra pessoa, porque eles podem causar áreas de maior pressão, que comprometem a mucosa oral, facilitando a entrada de substâncias nocivas.

Publicado inicialmente em tuasaude.com por Marcela Lemos – Biomédica, em junho de 2022. Revisão clínica por Cassiano Scapini – Dentista, em fevereiro de 2016.

Advertisements