Papa Francisco agradece a enfermeiros por ‘heroísmo’ no combate à epidemia

Papa Francisco agradece a enfermeiros por ‘heroísmo’ no combate à epidemia

Maio 12, 2020 Não Por love amem
papa Francisco rezou nesta terça-feira (12/5) pelos enfermeiros e enfermeiras, um exemplo de “heroísmo” no combate à pandemia de coronavírus que atinge o mundo.
Que o Senhor os abençoem. Nesta época de pandemia, dão o exemplo de heroísmo, e alguns deram sua vida. Rezemos pelas enfermeiras e os enfermeiros”, disse o papa durante a missa matutina na capela de sua residência no Vaticano.
“Hoje é o dia das enfermeiras. Ontem, enviei uma mensagem. Rezemos hoje pelos enfermeiros e enfermeiras, homens, mulheres, meninos e meninas que têm esta profissão, que é mais do que uma profissão, é uma vocação, uma dedicação”, acrescentou o pontífice.
Na mensagem, enviada por ocasião do Dia Internacional da Enfermagem, o papa pediu às  autoridades mundiais que se esforcem para garantir que os profissionais “realizem sua vocação com dignidade”.

A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e recorda o bicentenário do nascimento de Florence Nightingale, que deu início à enfermagem moderna. Este ano, é dedicada aos muitos profissionais da saúde que perderam a vida em vários países em decorrência do coronavírus.
“Neste momento histórico (…), redescobrimos o papel de importância fundamental que desempenha a pessoa do enfermeiro, como também a da obstetra. Diariamente assistimos ao testemunho de coragem e sacrifício dos profissionais de saúde, que, com profissionalismo, abnegação, senso de responsabilidade e amor ao próximo, prestam assistência às pessoas afetadas pelo vírus, com risco da própria saúde”, expressou o papa.
Para o papa, os enfermeiros e enfermeiras, não apenas têm conhecimento técnico-científico, mas também sua profissão está “constantemente iluminada pela relação humana e humanizadora com o doente”. Por isso, ele os considera “os santos da porta ao lado”.
Francisco recordou que tais profissionais estão ao lado de pacientes e familiares, “em cada fase da vida, do nascimento à morte, doença e recuperação, para ajudar a superar as situações mais traumáticas”.




Em sua mensagem, o papa convida os líderes políticos de todo mundo “para que invistam neste bem comum primário que é a saúde, reforçando as estruturas e empregando mais enfermeiros, para garantir a todos um atendimento adequado, no respeito pela dignidade de cada pessoa”.
“Está comprovado que investir neles melhora os resultados em termos de assistência e saúde geral”, ressaltou.
O papa argentino quis mencionar também o papel dos obstetras, que acompanham as mulheres grávidas e ajudam a dar à luz seus filhos.
“Vosso trabalho se conta entre os mais nobres que há, consagrado como está diretamente ao serviço da vida e da maternidade”, apontou.