MISSIONÁRIA COMETE SUICÍDIO APÓS SE JOGAR DE PONTE NA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO

Caso aconteceu no inicio de Maio de 2019 .

Missionária da Assembléia de Deus, apenas identificada por Maria Helena, chocou os internautas ao se jogar da ponte Madureira próximo a Rodoviária Novo Rio. A missionária morava na Vila Kennedy, na zona oeste do Rio de Janeiro.

A Missionária Maria estava sofrendo de depressão profunda e decidiu dar cabo de sua vida. Toda a situação tensa de seu suicídio foi filmada, inclusive o momento em que a Missionária Helena se joga.
O vídeo é triste e está viralizando na internet.

Segundo as pessoas que a conheciam, Maria “era uma pessoa aparentemente feliz e linda, porém, triste por dentro”, relatou um conhecido da religiosa.

Quando identificada por alguns conhecidos, muitas tentativas foram feitas para que Maria Helena desistisse de tirar sua própria vida. Um cordão humano de orações começou ser feito para sensibilizar a missionária e fazê-la desistir. Infelizmente não teve jeito, assim que ela percebeu que alguém viria para resgatá-la ela se jogou.

Apesar de ter uma equipe de resgate no local, a
Missionária morreu na hora. O número de suicídios no meio evangélico tem crescido de forma assustadora. Principalmente,no meio de líderes evangélicos. Pastores, pregadores, pessoas de alta responsabilidade e cargos de importância tem desistido de lutar por suas vidas.

A Psicanalista Priscilla Ribeiro afirma que “no
caso de pastores e pessoas religiosas, muitas vezes não são notados sintomas da doença,porque as próprias lideranças querem sempre mostrar um perfil de sucesso e bem estar. Até pra que sejam credibilizados pelos seus seguidores.

A depressão é considerada por muitas pessoas como frescura. Por ter esse estigma, muitas pessoas tem dificuldades de iniciar um tratamento para a doença. Com a progressão da depressão,o sentimento que passa a surgir na mente do deprimido é acabar com esse sofrimento”.

“A neuroquímica do doente é afetada e a pessoa passa a não ter mais prazer algum. Fatos marcantes, e até a forma como a pessoa enxerga a vida e a si mesmo, podem dar origem a doença silenciosa que já é considerada o mal do século”, afirmou a terapeuta e palestrante.