Eu vi um carrinho de bebé com uma criança dentro e ao lado uma menina deitada em um banco

Tenho 27 anos, moro depois da morte dos meus pais, em uma casa particular em uma área suburbana de Moscou. Metade do distrito – casas de vários andares e metade – uma comunidade de casas de campo, entre elas – um jardim com playgrounds.

Sou adepta de um estilo de vida saudável, então corro à noite. E isso não é assustador, pois levou o  cachorro , Doberman chamado Fas. Na verdade o nome dele, ele é Fausto (o apelido do berçário), mas eu o cortei por conveniência. É muito dócil o cachorro – uma gentileza! Meus vizinhos já perguntaram – ele é burro, ele não ladra?  Eu disse que não .

E por que ladrar, se tudo está em ordem? Tem lógica, não !

Certa noite fui correr e ouvi um som estranho. No começo parecia um gato a miar mas era um som incomum . O meu cachorro também ouviu , pois ele me puxou para um lugar , para um beco sem luz.

Eu não queria ir lá, estava com medo , era muito escuro. Mas o som não parava  , parecia alguém chorando. Então ganhei coragem , liguei a lanterna e fui ver!

Havia um carrinho de bebê, com um bebê dentro chorando , já rouco, e ao lado do carrinho estava uma garota no banco, obviamente a mãe.

Eu estava com medo – pensei para mim (será que ela morreu)  não é normal ouvir o bebé chorando e não fazer nada! E o que esta a fazer no parque tão tarde. Pensei em chamar a policia primeiro. Eu fui até lá, olhei de perto – mas ela estava dormindo! Então eu acordei ela, ela mal abriu os olhos. Ela ficou assustada quando me viu.  Ele pegou imediatamente a criança do carrinho ecomeçou a chorar.

Então ela me contou a sua históriaa. O nome dela é Vika, ela ainda não tem 18 anos. Ela está sozinha com a criança, ela mora em uma das casas antigas. Ela conheceu o pai da criança na Internet, se apaixonei, ele ligou para morar em Moscou com ela. Vivíam em um apartamento alugado, ela arrumarou um emprego como vendedora.

O cara não trabalhava, mas às vezes ele arranjava muito dinheiro – ele dizia que vendia coisas. E quando ela ficou grávida e a barriga ficou visível, ele apenas fugiu enquanto ela estava no trabalho. Ela trouxe todas as suas coisas, até algumas delas desapareceram. Ela ainda tinha uma dívida por um apartamento por dois meses. Ela nem sabe ao certo qual é o nome dele, como ele ligou. O telefone está desconectado, a página nas redes sociais está bloqueada. Ela não sabe pesquisar na internet, não sabe como encontra-lo.

Quase todo o salário mensal tinha foi para pagar a dívida do apartamento, mas como não chegou para pagar tudo os proprietários a colocaram fora do apartamento.

Quando ela ficou sem dinheiro e abrigo, ela desmaiou no trabalho, foi levada para o hospital, lá antes do nascimento da bebé.

 

Em resumo, levei-a para casa, para o meu pequeno apartamento e ao longo do caminho comprei leite, pãezinhos, iogurtes, guisado.

Ela quando viu aquele quartinho, quase desmaio – uma sala de cerca de 4 metros quadrados, uma pequena janela com uma treliça. Tinha de mobília  uma mesa, uma cadeira, um cabide e um sofá.

Eu disse a ela que iria morar comigo e ela começou a chorar pois disse que não tinha como pagar. Eu disse: Vai viver aqui como fosse minha irmã.

Agora, é como se eu tivesse uma irmã (ou irmão), viveríamos juntos, ajudaríamos uns aos outros. E assim será!

Agora nós moramos juntos – dois Vicki, eu sou Vika e minha nova irmã Vika com o bebe Maxim e um gato que o protege enquanto ele dorme.

Vika era uma ótima especialista em culinária – ela se formou na escola como confeiteira. A criança vai crescer – nós vamos encontrar um emprego na especialidade.

Alguns vizinhos me condenaram pela minha escolha , por colocar uma pessoa estranha em casa mas eu não liguei.

Talvez eles estejam certos, mas eu não poderia deixar alguém na situação dela a viver na rua …

 

Veja também:

O bebê nasceu morto 4 meses antes do prazo final. Mas em 8 minutos o impensável aconteceu!

No autocarro o menino estava constantemente a bater na perna dele e a mãe dele não fazia nada…

Imagem ilustrativa

Ao conhecer o futuro genro, a sogra sentiu algo estranho. Vasculhou o velho álbum de fotos, e quando viu as fotos, não queria acreditar!