Pais se fartaram dos filhos e decidiram fechá-los num quarto para que morressem à fome.

Um casal norte-americano, que admitiu ter deixado os filhos à fome, foi condenado a pesadas penas de prisão, esta segunda-feira, no estado da Pensilvânia. Em desespero, as crianças terão mesmo arrancado a tinta das paredes para sobreviverem.

Joshua Weyant, de 35 anos, recebeu uma pena que vai dos 19 aos 39 anos, enquanto a companheira, Brandi Weyant, de 39, pode ficar presa entre 18 a 37 anos. O casal confessou ter deixado os filhos abandonados sem acesso a comida. As crianças foram encontradas em casa, pelas autoridades, cobertas de lixo e gravemente doentes.

A detenção, que ocorreu em dezembro de 2016, aconteceu depois de uma denúncia anónima que alertou as autoridades para os maus tratos perpetuados pelo casal às crianças com idades compreendidas entre os quatro e os seis anos. As duas meninas tinham quatro e cinco anos e o rapaz seis anos.

 

Segundo o “Daily Mail”, os três menores pesavam menos do que 14 quilogramas e estavam com tanta fome que, quando as autoridades chegaram ao local, já tinham arrancado tinta das paredes para se alimentarem.

Os procuradores públicos responsáveis pelo caso alegaram que os pais se fartaram dos filhos e decidiram fechá-los num quarto para que morressem à fome. “Parece que saíram de um campo de concentração”, disse a procuradora Jennifer Gettle, envolvida na detenção do casal, ao “Penn Live”. As crianças foram depois levadas para um centro de recuperação, permanecendo ainda no local.

Para além dos pais e dos três filhos, no mesmo local viviam ainda mais cinco pessoas, incluindo uma jovem rapariga que as autoridades acreditam ser filha de Brandi. Uma irmã de Joshua foi detida mais tarde acusada de maus tratos às crianças.

Fonte :Jn , Imagens : Twitter

 

Veja também:

‘Bebé-milagre’ encontrada no esgoto a ser comida por formigas

Transgénero namora com homem que a rejeitou antes de mudar de sexo

(Image: Caters News Agency)

Homem nu pede ajuda em bomba de gasolina para retirar brinquedo sexual do ânus

(Image: CEN)