Mulher assassinada pelo namorado testemunha contra este em tribunal .

É um caso no mínimo insólito: uma mulher que morreu no hospital após o namorado lhe lançar gasolina antes de a queimar viva vai testemunhar em tribunal no caso em que o agressor é acusado de tentativa de assassinato. Isto porque antes de morrer, Judy Malinowski filmou o seu testemunho para que este pudesse constar do processo posteriormente. O caso ocorreu em junho de 2015 numa bomba de gasolina, em Ohio, nos EUA.

Facebook

A jovem de 33 anos só acabaria por morrer dois anos depois na sequência dos ferimentos sofridos, uma vez que ficou com 80% do corpo queimado. Os advogados do suspeito tentaram impedir que o seu testemunho gravado numa cama de hospital fosse usado em tribunal, citando tecnicidades legais, mas não conseguiram fazê-lo. Judy também chegou a dar declarações à imprensa onde contou tudo o que se passou. “Nunca pensei que alguém pudesse ser tão mau”, revelou. Slager, o então namorado da vítima, manteve sempre a teoria de que lhe pegou fogo por acidente quando acendeu um cigarro. Judy perdeu as duas orelhas e dois dedos no ataque.

Michael Slager /Facebook

Foi submetida a 56 cirurgias antes de morrer. Nos seus últimos tempos de vida, a mulher estava tão enfraquecida que já não era capaz de enfrentar qualquer procedimento cirúrgico.

Imagem de Capa: News 10

 

Veja também:

18 imagens perturbadoras que vão provocar você

Esta mulher perdeu seu marido para uma mulher mais jovem. Mas ela pensou em algo para nunca ser esquecida.

Bebê de 8 meses pesa quase o mesmo que uma criança de 4 anos.