A história de São Nicolau contada por uma avó.

Das tradições natalinas, a que eu mais gosto é a do Dia de São Nicolau. Minha vó contava que na época dela as crianças não ganhavam presentes no dia 24 de dezembro. O Natal era uma noite reservada à Missa do Galo, à ceia e ao convívio familiar. Os presentes eram trazidos no dia 6 de dezembro pelo Nicolau.

Nicolau realmente existiu e foi um bispo em Mira, atual Turquia. As histórias que falam sobre ele dão conta de sua bondade e generosidade. Duas delas eu conto aqui para explicar a doçura do dia 6 de dezembro.

A primeira fala do que Nicolau fez quando soube que em uma cidade no ocidente as pessoas estavam passando fome. Ele reuniu nozes, maçãs, frutas secas e grãos de trigo. Para ajudar, as mulheres da cidade fizeram pães de mel. Encheram um navio e mandaram para a tal cidade. A embarcação demorou muito para chegar e aportou no seu destino apenas à noite, quando todos dormiam. Então os tripulantes dividiram os alimentos e deixaram nas portas das casas. Depois foram embora.

Outra história conta que um viúvo tinha três filhas e estava passando por grandes necessidades. Seu sofrimento era saber que não tinha dote e que não poderia casar as meninas. São Nicolau, então, juntou um saquinho de moedas de ouro e jogou à noite pela janela. O saquinho foi cair dentro de um sapato e o viúvo conseguiu casar a primeira filha. A história se repetiu mais duas vezes e todas foram casadas, graças aos presentes dos sapatinhos.

Dessas duas lendas vem o sapatinho na janela – sim, aquele da musica. Do dia 5 para o dia 6 as crianças deixam sapatinhos na porta e as que foram bem comportadas ganham pacotinhos do São Nicolau, com nozes, pão de mel, frutas secas… E por onde ele passa deixa estrelinhas para iluminar o caminho.

Desde o tempo da minha vó, muita coisa mudou. Dia 24 o Bom Velhinho visita a nossa casa e entrega os presentes em mãos, a ceia é beliscada à medida em que fica pronta, passamos do tempo de desmontar o presépio e esse ano teremos a mudança mais triste de todas: a ausência da minha vó na mesa. Mas o dia 6 de dezembro continuará a ter gostinho de pão de mel.

 

Creditos:clicrbs

 

Veja também:

50 atividades familiares em preparação ao Natal

Quando aconteceu o primeiro Natal?

Por que o Natal é comemorado em 25 de dezembro?